in

Por Trás da Burning Sun

Traduzimos uma thread no twitter, de uma pessoa coreana. Ela tentou explicar em detalhes os motivos dos coreanos estarem preocupados com todo o escândalo do chat, Burning Sun e principalmente pelo envolvimento do Seungri. Lembramos que a opinião expressa à seguir não é a do Say K News!
Thread traduzida:

“Eu sou um coreano(a) e vou falar sobre o que os coreanos pensam sobre os eventos envolvendo o Seungri e o Burning Sun. Inglês não é minha primeira língua. Por favor, procurem me entender mesmo que o inglês esteja errado.
Muitos fãs de K-pop estão enganados. Este não é um incidente de apenas um ídolo. Este é um escândalo de drogas e prostituição que ocorreu na Coreia, e o grupo que liderou tudo é formado por políticos e conglomerados. Esse também é um escândalo de corrupção policial que não punem os culpados há anos.
Primeiro, vocês devem estar se perguntando: por que o repórter não enviou a conversa diretamente para a polícia? Isso porque a polícia está profundamente envolvida no caso de corrupção. É por isso que o repórter enviou a conversa para uma organização que examina a corrupção na Coreia.
Um funcionário da agência, que pertence à administração central da Coreia e pretende punir e distinguir os culpados nos casos de corrupção, disse: “Não há manipulação na conversa e fiquei chocado que o diálogo tenha sido feito na Coreia.”

O artigo que fala sobre isso: https://m.news.naver.com/read.nhn?mode=LSD&mid=sec&sid1=102&oid=025&aid=0002890682

Se o repórter tivesse entregado a conversa para a polícia, é muito provável que ela tivesse desaparecido, por que o Burning Sun já foi pego anteriormente por ter subornado a polícia (Artigo: https://m.news.naver.com/read.nhn?mode=LSD&mid=sec&sid1=102&oid=056&aid=0010676583). A Agência de Polícia de Gangnam, que tem consistentemente investigado o clube de Gangnam, não pôde investigar devido a essas alegações e atualmente as investigações são feitas por outra equipe.

Em segundo lugar, por que os coreanos dizem que não apenas Seungri, mas também políticos coreanos e grandes empresas estão envolvidos?
Muitos fãs do K-pop podem ter ouvido falar do incidente com o Seungri, mas não é a primeira vez que os coreanos presenciam coisas do gênero. A corrupção de policiais, políticos e conglomerados não é um caso que aconteceu uma ou duas vezes na Coreia do Sul. Vamos voltar para 2010.
Um detetive, chamado Lee Yong-joon, foi morto enquanto investigava irregularidades em um clube em Gangnam. A polícia anunciou que foi suicídio, mas foi uma morte misteriosa. Ele foi morto enquanto investigava o clube em seu cargo na delegacia de polícia em Gangnam. Antes mesmo de chegar a trabalhar na delegacia de polícia em Gangnam, ele foi tão sincero e trabalhou tão bem que ganhou o prêmio da polícia pelo terceiro ano consecutivo.

Os policiais da Delegacia de Polícia de Gangnam estavam preocupados em lidar com sua morte na mídia, então decidiram fechar o caso depois de anunciar que Lee Yong-joon morreu depois de problemas com sua namorada, mas a família do detetive assassinado disse que ele nunca teve problemas com a namorada. Sua família protestou contra o término do caso, mas foi ignorada.
Era muito incomum que o detetive Lee Yong-joon investigasse sozinho a corrupção do clube de Gangnam, pois na Coreia do Sul, os grupos designados à investigações em campo são compostos por no mínimo duas pessoas. Ele também era muito cauteloso com seus colegas da Delegacia de Polícia de Gangnam, chegando a ter usado uma fotocopiadora em outra delegacia e se envolveu também em um acidente de carro tentando transferir informações sigilosas e importantes para Busan, onde aparentemente podia confiar em alguém.

Depois de ser transferido para o Hospital Yeongdong, ele disse: “Vou ao banheiro” e então sumiu. Ele então foi encontrado em um reservatório distante do Hospital Youngdong. Mas existe algo ainda mais estranho: o reservatório onde ele foi encontrado tinha cerca de 1,5 metros de profundidade… o que quer dizer que homens com mais de 1.75cm de altura não poderiam se afogar ali. Não havia barragens nas proximidades, por isso o corpo não foi arrastado pela correnteza.
Mas isso ainda não é o fim: a autópsia mostra que ele foi estrangulado por alguma coisa. (Optamos por não deixar essa imagem pública por ser um conteúdo não seguro ao nosso público).

As alegações diziam que ele havia sido estrangulado até a morte, porém a polícia tentou justificar o afogamento dizendo que plânctons foram encontrados em seus pulmões. No entanto, mais questionamentos foram levantados, já que o plâncton encontrado em seu corpo não vivia em represas, mas sim no oceano. Sua morte é um mistério há muito tempo na Coreia, tudo por que ele investigava a verdade.
(Link: https://www.instiz.net/pt/6007258)
Aqui está um compilado do documentário sobre o caso na época. E agora podemos seguir para o ano de 2015.
(Link: https://theqoo.net/square/1020923322)
Esse link descreve a corrupção dos filhos de conglomerados e políticos sul-coreanos. O autor original do artigo pertence a uma empresa de mídia que cobriu um famoso escândalo na Coreia do Sul.

Eles pegaram Lee Myung-bak e Park Geun-hye, ex-presidente, e também são famosos por adicionar provas nas investigações, que acabou os colocando na cadeia.
A história que é contada nesse artigo é de que os políticos e os filhos de grandes corporações estão distribuindo drogas e eles têm uma relação muito próxima com as celebridades. Eles dizem que já existem infratores da legislação antidrogas entre eles e que suas atividades sociais estão ocorrendo em Gangnam.
E mesmo que a versão original do artigo não tenha sido apagada pelo repórter, ela foi apagada por um hacker misterioso. Porém muitas pessoas já o salvaram antes da exclusão, portanto o conteúdo permanece intacto.
Agora, vocês já conseguem perceber o quão absurdo é para os fãs dizerem que o caso de Seungri foi feito para encobrir outros eventos na Coreia do Sul? Já faz muito tempo desde que um escândalo político dessa magnitude aconteceu na Coreia. Foram cerca de 10 anos culpando, matando e escondendo pessoas inocentes!
O repórter que trouxe a conversa e a primeira vítima do Burning Sun revelou que #Seungri é apenas uma pequena parte de um grande evento, e faz tudo isso para revelar algo realmente grande, até então escondido atrás de Seungri.
Eles disseram que já começaram uma pesquisa de vários clubes em que a distribuição de drogas é ainda maior do que no Burning Sun, por exemplo o clube Arena, clube Mu-in, etc.

View post on imgur.com

Terceiro, Kim Sang-kyo é um agressor sexual, então eu gostaria de anexá-lo nessa questão aos fãs de Seungri que não acreditam nisso. Já foi revelado que todas as três mulheres que processaram Kim Sang-kyo estão intimamente relacionadas com o empregado do Burning Sun.
(Link: http://news.kmib.co.kr/article/view.asp?arcid=0013125377&code=61181111&sid1=cul)

View post on imgur.com

Eu sei que os fãs Seungri dirão que este artigo foi escrito para encobrir o assalto do presidente da JTBC. Como expliquei acima, não há atualmente maiores escândalos na Coreia do que o caso Burning Sun.
O SOPA, sobre o qual os fãs do K-pop costumam falar bastante, é um dos casos mais infelizes, mas não é tão grande quanto o Burning Sun.
E não foi a JTBC que descobriu que as mulheres que acusaram Kim Sang-kyo de assédio sexual são funcionárias da Burning Sun ou estão próximas dos envolvidos. Entre elas, uma chinesa suspeita de tráfico de drogas está sendo investigada por ter sido proibida de sair do país.

http://imnews.imbc.com/replay/2019/nw1700/article/5169649_24656.html

Descobriu-se também que o resto das mulheres envolvidas tinham alguma ligação com o clube com base em sua aparência ou informações postadas nas contas oficiais do Burning Sun na internet.
Quando o primeiro ataque ao Burning Sun ocorreu, os coreanos se perguntavam sobre a CCTV (circuito de câmeras de segurança). Existem muitas CCTVs na Coreia que muitas vezes ajudam a resolver crimes, mas a Delegacia de Polícia de Gangnam disse que não havia CCTV no começo.
As imagens do circuito de câmeras de segurança foram vazadas pela primeira vez como um vídeo editado em alta definição no Instagram da irmã de Seungri, e a irmã de #Seungri afirma que Kim Sang-kyo é um criminoso sexual no vídeo. De onde vieram essas CCTVs se nem a polícia tinha as imagens? A opinião da irmã de Seungri, que é uma DJ residente no Burning Sun, pode, claro, ser verdadeira. Então, vamos olhar para um CCTV lançado por alguém com objeções.
Essas são as imagens de CCTV de um homem que primeiro atacou Kim Sang-kyo. Ele agarrou o cabelo de Kim Sang-kyo em uma rua afastada.

Quando Kim Sang-kyo foi agredido por um funcionário do Burning Sun, o que esse membro VIP (não os fã do Big Bang) fez? Sem quaisquer sanções, ele saiu para o corredor VIP, viu Kim Sang-kyo ser espancado e deixado em seu carro estacionado.
Quem são eles? Quem não é punido por agredir pessoas, que nem recebem nomes quando distribuem drogas? O caso Burning Sun não terminará até que os VIPs do clube de Gangnam, que não são punidos por nada, sejam revelados.
Felizmente, o repórter não entregou a conversa à polícia pela primeira vez e a entregou a outra agência. É por isso que o primeiro-ministro da Coreia do Sul também teve conhecimento do incidente.
O primeiro-ministro disse que poderia custar sua honra mas resolveria o caso, porém muitos coreanos temem que somente as celebridades envolvidas nesse caso sejam punidas e tudo acabe por isso mesmo.
Espero que os fãs do K-pop não mintam apenas para proteger seus ídolos, já que este é um evento importante na história da Coreia e deve ser revelado por completo.

Adicionando aqui na thread uma história que eu não pude antes:
O homem de Busan que Lee Yong-joon deveria encontrar era um homem de confiança que ele conheceu na delegacia onde trabalhou no passado. Nove anos depois, quando o caso do Burning Sun foi lançado, a Delegacia de Polícia de Gangnam repetiu uma investigação incrivelmente absurda.
Foi a “delegacia de polícia de Busan” que primeiro revelou a distribuição de drogas. Originalmente o caso era liderado pela polícia local. O fato de a polícia ter investigado o caso primeiro fora da área e apresentado evidências mostra que eles já sabiam sobre a distribuição de drogas em clubes de Gangnam.
Muitos coreanos acham que o detetive morto estava coletando evidências através da delegacia de polícia de Busan.
E há algo a dizer sobre grandes empresas também! Grandes corporações que investiram na criação de clubes estão associadas a hotéis próximos à Burning Sun.

Eles também sabiam que mulheres eram levadas para esses hotéis e que seriam filmadas sem seu consentimento, mas a polícia não os investigou adequadamente, por isso novas investigações estão sendo feitas.
Como o caso ainda está em andamento, pode haver uma reversão nas histórias que eu escrevi aqui, porém eu queria esclarecer por que os coreanos acham que esse caso é importante.”

Obs: Os links fornecidos estão todos em coreano.
Link: https://twitter.com/k_fact_/status/1105161400484212736
Créditos eng: @k_fact_
Tradução: Jess @ Say K News Jessica Bett
NÃO RETIRE SEM OS DEVIDOS CRÉDITOS!

Avatar

Written by Jessica Bett

Comments

Comente

Loading…

0

Comments

0 comments

Monsta X – We Are Here

Suran Se Abre Sobre Câncer